sexta-feira, 11 de julho de 2008

Três Dias

Evitando escolhos, lutando contra pensamento errático, superando novas decepções, levei três dias para escrever um curto texto que noutras circunstâncias levaria apenas uma hora. Cheguei mesmo a ponderar desistir do tema e avançar para outra proposta. Contudo esperei. Resignei-me a continuar persistindo.
Mas consegui!
Publiquei o texto já madrugada dentro no meu outro blog. E fui dormir.

Neste momento os meus braços tremem, as minhas mãos estremecem frente ao teclado. A cabeça atafulha-se de pensamentos erráticos que se amontoam em novelos desgrenhados. O corpo arde como possuido por uma corrente eléctrica que o percorre revolvendo-me as entranhas. Sinto-me nauseado e desconcentrado. Mas...
Continuo escrevendo, embora esteja constantemente voltando atrás para corrigir erros.

Debaixo da língua dilui-se um comprimido destinado a dissipar os efeitos incómodos de mais um ataque de ansiedade. De tão habituais, tornaram-se quase uma rotina; algo com que me vou habituando a viver.

A doença ajuda-nos a aprender a ser pacientes.

1 comentário:

orlando disse...

Parabéns, Manuel, pelos teus espaços na net.
Oportunidade para diário, reflexão, expressão artística (teus desenhos excelentes).
Lendo o teu perfil, encontro-te no Brasil. Julgava-te cá de novo.
Interessante a tua nova profissão! Tens progredido muito. Grandes surpresas!
Força, Amigo!
Abraços do Orlando