domingo, 14 de dezembro de 2008

Não Perdido

Cego,
Mas não perdido,
Avanço!

Minhas garras sangram o solo
Ao caminhar
Arrasto comigo
O peso das asas tolhidas,
Rasgadas,
Mas não amputadas.

O Tempo é meu Mestre.

Sinto no ar denso
A pestilência da degradação
Os gemidos e lamúrias que me rodeiam
Ao passar.

Meu Coração está longe!
Minha Alma almeja Alto!

Moribundos sem redenção não me deterão!

Meu propósito é chegar!
Meu destino...
Apenas o Meu Senhor Anpu o sabe.

4 comentários:

Serginho Tavares disse...

também quero chegar
so não sei onde mais...

Paulo - Intemporal disse...

O tempo é in.tempo em ti.

Porque desde que fazes parte da minha vida, não existe tempo nem espaço.

Existes e sinto[-TE] sempre presente, em todos os momentos!

Sabes porquê?

_________________ digo[-TE] depois!

;)

Abraço[-TE] ManDrag

ManDrag disse...

Salve! Serginho

Pois é... a vida é uma viagem de rumo incerto. Mas por certo que chegarás ao destino que te é devido... Enjoy the ride!

Salutas!

ManDrag disse...

Salve! Paulo, meu lindo

O tempo e o espaço... são recreios para nossas almas dispersas em mundos, que outros não ousam alcançar.

Se o coração é uma jaula, então és meu prisioneiro... se a lembrança é uma presença, então estás sempre ao meu lado...

Te abraço no espaço e no tempo que só o sonho permite.

Asa com asa. Voaremos.

Salutas